Você já andou em uma montanha russa? Se sim, deve saber a sensação de instabilidade que dá. São curvas inesperadas, momentos de altos e baixos e a surpresa é elemento presente a cada segundo.  Empreender é como uma montanha russa. A concorrência é enorme, o mercado está sempre mudando e a estabilidade é algo difícil nesse universo. Por isso, vamos falar sobre um elemento essencial para que sua empresa não se torne uma constante montanha russa: o capital de giro para pequenas empresas .

 

Mas o que é capital de giro?

O capital de giro é, basicamente, a quantia de dinheiro que sua empresa precisa ter em caixa para honrar seus compromissos imediatos e não gerar dívidas. Por exemplo, se você vende a prazo para seus clientes, é preciso ter a quantia total em caixa para pagar os fornecedores ou a mão-de-obra. Salários, contas mensais e outras despesas operacionais também entram na conta.

Um dos principais pontos do capital de giro é conhecer o ciclo de sua empresa. Ele é o período que sua empresa leva entre receber dos clientes e comprar dos fornecedores. O ciclo de capital de giro ideal é quando o período que a empresa demora para receber o dinheiro é menor do que o período de pagamento

Muitos pequenos empresários não sabem ou ignoram sua importância, e, quando a situação fica complicada, precisa recorrer a empréstimos e financiamentos, o que compromete, e muito, a saúde financeira da empresa a curto e médio prazos. Isso é tão recorrente que já abordamos esse tópico de dívidas e empréstimos em outro artigo no nosso blog.

 

Como calcular o capital de giro?

Para calculá-lo é simples: some a quantia que você precisa receber dos clientes e subtraia pelas contas a pagar. O resultado é o valor que você precisa ter em caixa para manter a saúde da sua empresa.

A quantia a receber é chamada de Ativo Circulante e também leva em conta o valor dos produtos em estoque, pois já foram comprados. Quanto maior for esse valor, mais dinheiro será preciso ter em caixa.

Já a quantia a pagar é chamada de Passivo Circulante e envolve, como mencionamos, contas a pagar, salários, aluguel, impostos e outras despesas. Ao contrário do ativo, quanto maior for o valor do Passivo Circulante, menos dinheiro será necessário em caixa. Assim, você sempre irá receber antes de precisar pagar – o que facilita, e muito, o planejamento financeiro.

Para facilitar a sua conta na hora de saber quanto você possui de capital de giro, olhe o esquema abaixo:

 Ativo Circulante – Passivo Circulante = Capital de Giro.

Para que esse processo de cálculo e conhecimento do capital de giro seja mais eficiente, é preciso que o empresário conheça profundamente o fluxo de caixa de seu negócio. Uma das maneiras mais simples de fazer isso é utilizando um software de gestão, que automatize esse trabalho e permita que o empreendedor foque no planejamento.

A Super Empresa, que já está no mercado há mais de 15 anos, é especializada em criar soluções para auxiliar os micro e pequenos empresários diariamente.

Clique aqui e conheça mais sobre o software de gestão da Super Empresa.

WhatsApp
1
Fale com a gente!
Olá podemos ajudar?
Powered by