A nota fiscal eletrônica (NF-e) atualmente domina o mercado fiscal, trazendo agilidade para a coleta de impostos e dinamicidade para a circulação de mercadorias e prestação de serviços. Antes feita no papel, a sua adesão à tecnologia simplificou e popularizou seu uso, embora tenha demorado para começar a valer para todos. Agora, as notas são divididas: produto, usada quando há a circulação de mercadorias; e serviço, usada quando ocorre há a prestação de algum tipo de serviço. Vale a pena avisar que, em breve, a emissão de nota fiscal será obrigatória para todos. Para não ficar para trás, fale com seu contador sobre o assunto.

Antes de começar a emitir a nota fiscal, deve-se estar por dentro de alguns conceitos, sendo o principal saber se sua empresa A primeira coisa que se deve ter em mãos é um certificado digital, uma espécie de comprovante que indica se sua empresa pode atuar. Para conseguí-lo, é necessário ir atrás de uma Autoridade Certificadora. A segunda coisa que se deve saber é qual é o tipo de empresa e de nota que você precisará emitir. Novamente, consulte seu contador. Além disso, você deve conferir se a sua empresa está obrigada a emitir a nota fiscal eletrônica. Para isso, basta ir até o Portal NF-e para verificar a urgência.

A terceira etapa varia de região para região, e de tipo de nota também. Caso seja uma nota de produto/consumidor, você deve se cadastrar na Secretaria da Fazenda (SEFAZ) do seu estado. Caso seja uma nota de serviço, é na prefeitura da cidade em que você atua que se deve cadastrar. Porém, essa etapa tem um requisito geral: conseguir um sistema que permita a emissão de notas fiscais. Um exemplo é o programa da Super Empresa, que conta atualmente com mais de 1500 clientes ativos e satisfeitos, e atende diversas empresas sobre nota e cupom fiscal. Para saber mais, clique aqui

Compartilhe:
WhatsApp
1
Fale com a gente!
Olá podemos ajudar?